Exames para diagnosticar o câncer que salvam vidas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

diagnosticar o câncer

O câncer pode ser detectado a partir da dosagem de marcadores tumorais, que são substâncias que as células ou o próprio tumor produzem, como o AFP e o PSA. Na presença de qualquer alteração, os índices se encontram elevados no sangue, o que pode fazer com que o médico solicite outros exames complementares. A dosagem dos marcadores tumorais é importante não só para diagnosticar o câncer, mas também para avaliar o estágio do tumor e a resposta ao tratamento. Com isso em vista, os exames de sangue são importantes não só para detectar o câncer, mas também para avaliar o desenvolvimento do tumor e a resposta ao tratamento.

Na dúvida de qualquer alteração no organismo, como emagrecimentos inexplicáveis, aparecimento de manchas ou outros fatores internos e externos, o médico pode solicitar alguns exames que, quanto mais cedo forem feitos para diagnosticar o câncer, melhor sucesso pode se obter no tratamento. Na postagem de hoje vamos falar sobre alguns desses exames.

BTA
Este exame é utilizado para detectar tumor na bexiga (BTA), e normalmente é dosado juntamente com o NMP22 e o CEA.
Ao detectar o câncer de bexiga, o exame pode apresentar um valor superior a 1. A presença de BTA na urina, no entanto, também pode estar elevado em decorrência de problemas menos graves como inflamação dos rins ou da uretra, especialmente quando se utiliza sonda vesical.

PSA
O antigênio prostático (PSA) é uma proteína produzida para a próstata. Na presença do câncer de próstata, sua concentração pode aumentar. Quanto a elevação é superior a 4,0 ng/ml pode indicar o desenvolvimento de câncer e, quando é superior a 50 ng/ml, pode indicar a presença de metástases.

No entanto, para confirmar, o câncer é necessário realizar outros exames como toque retal e ecografia à próstata, já que a concentração dessa proteína também pode associada a situações benignas.

Calcitonina
Este hormônio produzido pela tireoide e pode estar elevada em pessoas com câncer da tiroide, assim como em pessoas com câncer de mama ou de pulmão, por exemplo. Veja como é feito o exame da calcitonina.

O seu valor de referência, quando superior a 20 pg/ml, pode ser indicativo de câncer. Mas, os valores também podem estar alterados devido a outros problemas, como pancreatite, doença de Paget e até gravidez.

AFP
A alfafetoproteína (AFP) é uma proteína solicitada quando há a necessidade de investigar tumores no estômago, intestino, ovários ou presença de metástases no fígado. Quando existem alterações malignas, o valor é superior a 1000 ng/ml. Porém, este valor também pode estar relacionado a outras situações como cirrose ou hepatite crônica, por exemplo, tendo seu valor aproximado a 500 ng/ml.

MCA
O MCA é o antigênio mucoide associado ao carcinoma (MCA), e geralmente é solicitado para verificar a ocorrência de câncer da mama. Na maioria dos casos pode indicar câncer quando o seu valor de referência é superior a 11 U/ml no exame de sangue. Assim como outros exames, este valor pode estar aumentando em ocorrências menos graves, como tumores benignos do ovário, útero ou próstata.

O médico também pode solicitar a dosagem do marcador CA 27.29 ou CA 15.3 para acompanhamento do câncer de mama e verificar a resposta ao tratamento.

Agora que você está inteirado do assunto e conhece algumas de diagnosticar o câncer, mantenha seus exames de rotina em dia para evitar maiores surpresas. O câncer não espera, cuide da sua saúde!

Deixe sua mensagem

Comentários

    Assine a nossa newsletter