Vamos falar sobre Lúpus?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Vamos falar sobre lúpus

O Lúpus Eritematoso Sistêmico, mais conhecido apenas como “Lúpus”, é uma doença inflamatória com origem autoimune e que pode afetar diversos tecidos e órgãos do corpo humano, como articulações, pele, rins, cérebro, entre outros. O Lúpus é mais comum em mulheres jovens e pode ser brando, incapacitante ou até mesmo fatal.

Antes de entrar em mais detalhes, é importante ressaltar o que são as chamadas doenças autoimunes. Trata-se de uma condição que acontece quando o sistema imunológico ataca e destrói, por engano, tecidos saudáveis do corpo.

Tipos de Lúpus

Lúpus Discóide – A inflamação ocorre somente na pele e pode ser identificada através do aparecimento de lesões cutâneas de tom avermelhada que, geralmente, aparecem na nuca, no couro cabeludo e rosto.

Lúpus Sistêmico – Esse é considerado o tipo mais comum e pode ser grave ou leve. Neste caso, a inflamação acontece no organismo e compromete diversos órgãos ou sistemas. O Lúpus Sistêmico pode ser uma evolução do Lúpus Discóide.

Lúpus induzido por drogas – também pode ser causado pela ingestão de drogas ou alguns medicamentos. São inflamações temporárias e que possuem sintomas similares ao Lúpus Sistêmico.

Lúpus Neonatal – Essa é uma condição rara. Trata-se do Lúpus que afeta os filhos de mulheres que possuem essa doença, sendo causada pelos anticorpos que agem quando a criança ainda está no útero. Quando a criança nasce, pode apresentar alguns sintomas que somem após meses, como erupções cutâneas, baixa contagem de células sanguíneas e problemas no fígado.

Causas

As causas ainda são desconhecidas, mas acredita-se que está ligada a uma combinação de fatores hormonais, ambientais, genéticos e infecciosos.

Estudos e pesquisas também mostram que pessoas com pré-disposição ao Lúpus, podem desenvolvê-lo ao entrar em contato com fatores ambientais que estimulem o sistema imunológico de forma incorreta, como, por exemplo, a exposição à luz solar, que pode agravar ou iniciar uma inflamação e desenvolver o Lúpus.

Os fatores de risco

Pode afetar indivíduos de qualquer idade ou sexo, porém existe o maior desenvolvimento dessa doença crônica em determinados grupos, como mulheres, principalmente as negras, e em indivíduos com faixa etária entre 15 e 40 anos, afro-americanas, asiáticos e hispânicos.

Sintomas

Os sintomas podem surgir sem precedentes ou se desenvolver de forma lenta, assim como podem ser moderados, graves, permanentes ou temporários. Como principais sintomas, podemos citar:

– Fadiga;

– Dor nas articulações;

– Febre;

– Rigidez Muscular;

– Inchaço;

– Dificuldade em respirar;

– Dor de cabeça;

– Confusão mental;

– Rash Cutâneo (vermelhidão na face em formato de “borboleta”);

– Sensibilidade a luz solar;

– Feridas na boca.

Tratamentos

É importante destacar que não existe cura, mas tratamento, que tem como objetivo controlar os sintomas e também a qualidade de vida dos indivíduos com essa condição.

A doença, na forma mais leve, é tratada através de anti-inflamatórios que não sejam esteroides e pleurisia, protetor solar, corticoide tópico e hidroxicloroquina. Já para o Lúpus na sua forma mais grave, o tratamento inclui alta dosagem de corticoides e drogas citotóxicas.

Convivendo

Se você tem essa doença autoimune, é importante seguir as recomendações médicas e cuidar da sua saúde, fazendo, freqüentemente, uma análise de imunização. Algumas recomendações podem ser bastante positivas: descanso, alta proteção solar ao se expor ao sol, não fumar e ter uma alimentação balanceada. Não se esqueça também de se tornar um conhecedor da sua condição, levar as suas dúvidas para o seu médico e também se conectar com pessoas com essa condição, para que vocês possam trocar informações.

Prevenção

Não existe uma prevenção porém é recomendado evitar os gatilhos que podem desencadear a doença, como, por exemplo, excessiva exposição solar. Tenha uma alimentação balanceada, hábitos e estilos de vida saudáveis e cuidados regulares com a sua saúde.

Esse conteúdo foi útil para você Continue acompanhando nosso blog para saber mais sobre saúde e bem estar.

 

Deixe sua mensagem

Comentários

    Assine a nossa newsletter