Dezembro Laranja: Se exponha, mas não se queime

Dezembro Laranja

 

Com o propósito de incentivar ainda mais a população para a prevenção do câncer de pele, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) criou, em 2014, o “Dezembro Laranja”, a campanha de combate ao câncer de pele. O movimento já está em sua 5ª edição e acontece sempre no último mês do ano. O nome do movimento se deu, pois laranja é uma das cores que remetem o verão, o sol e os corpos bronzeados.

A campanha nacional de prevenção ao câncer mais comum no país possui o slogan “Se exponha, mas não se queime” e acontece hoje, 01/12/18, um mutirão de consultas gratuitas, das 9h às 15h, em 132 postos de atendimento espalhados por todo o país. No total, serão cerca de 3.000 dermatologistas disponíveis para atender a população. Vale dizer, também, que em 2017 foram atendidas cerca de 20 mil pessoas, das quais 13,28% apresentaram lesões de câncer na pele.

O movimento, que conta com o apoio do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Médica Brasileira (AMB), também promove outras ações para alertar a população sobre a prevenção, o diagnóstico e o acesso ao tratamento. Durante o Dezembro Laranja, monumentos são iluminados na cor laranja, filtros solares são distribuídos em praias e parques e a população é convidada a compartilhar uma foto nas redes sociais usando uma peça de roupa na cor laranja e com a hashtag #dezembrolaranja.

O câncer de pele é o tipo da doença mais incidente no Brasil, com estimativa de 176 mil casos ao ano e, por este motivo, é tão importante saber como se proteger do sol. Nas crianças, por exemplo, é possível tomar algumas medidas para evitar a insolação, que é uma alteração grave na regulação térmica. Vamos ver a seguir quais são elas.

– Mantenha a criança hidratada. Sempre ofereça líquidos (água ou sucos naturais) com freqüência.

– Inclua comidas leves, frescas e com temperatura ambiente ao longo do dia

– Nos dias mais quentes, dê banhos com maior freqüência

– Mantenha os pés as crianças sempre protegidos, principalmente, nas horas de calor intenso

– Vista as crianças com roupas leves. Preferencialmente, de algodão.

– Evite permanecer por muito tempo dentro do automóvel ou lugares pouco ventilados

– Em praias ou piscinas, evite os horários de sol intenso (entre 10h e 16h).

– Passe protetor solar com fator UV alto, 30 minutos antes da exposição da criança ao sol. Reaplique de duas em duas horas e sempre que a criança entrar na água.

– Na praia, uma boa opção é vestir a criança com roupa com fator de proteção solar (FPS) e com um chapéu.

Outra dúvida que surge quando vai chegando o verão, são as novidades da estação e se realmente funcionam. Faz pouco tempo que as roupas com proteção solar (FPS) caíram no gosto popular, mas pode ser que as pessoas ainda fiquem pensativas a respeito da funcionalidade e da ação que essa roupa, que pode ser usada tanto por adultos quanto por crianças, exerce.

As roupas com proteção solar realmente funcionam. Elas podem ser fabricadas de duas maneiras distintas: com fibras de poliéster e poliamida que são a base de dióxido de titânio ou as de algodão, que recebem um aditivo fotoprotetor durante o processo de beneficiamento. Elas podem ter fatores distintos, as com FPU 20,30, 35 bloqueiam de 96% a 97,4% da radiação, já as com fator 40,45 e 50 bloqueiam mais de 97,5%.

Embora a eficácia dessas roupas seja comprovada, possua ação prolongada e comece a proteger o indivíduo das radiações logo após serem vestidos, os dermatologistas indicam que, mesmo assim, o uso de protetor solar é indispensável. É importante dizer, também, que a eficácia da peça está diretamente ligada aos cuidados da mesma, que deve ser lavada sem o uso de alvejantes químicos, secas na sombra e guardadas só quando estiverem completamente secas.

Vamos todos nos cuidar no ano inteiro, é época de nos conscientizar, participe do Dezembro Laranja: Se exponha, mas não se queime.

Para mais dicas de saúde e bem estar acompanhe o nosso blog.

>